Cadê Xoxó? by Kibeloco.com

O próximo Carnaval, por exemplo, já tem seu hino. Uma música que reúne misticismo eesperança. Uma canção que arrebatará família brasileira e varrerá o país – quiça o planeta – com uma pergunta essencial para o futuro da humanidade: “onde é que tá Xoxó?”


Conversa entre duas crianças...



- E aí, véio? 
- Beleza, cara? 
- Ah, mais ou menos. Ando meio chateado com algumas coisas. 
- Quer conversar sobre isso? 
- É a minha mãe. Sei lá, ela anda falando umas coisas estranhas, me 
botando um terror, sabe? 
- Como assim? 
- Por exemplo: há alguns dias, antes de dormir, ela veio com um papo doido 
aí. Mandou eu dormir logo senão uma tal de Cuca ia vir me pegar. 
Mas eu nem sei quem é essa Cuca, pô. O que eu fiz pra essa mina querer me 
pegar? Você me conhece desde que eu nasci, já me viu mexer com alguém? 
- Nunca. 
- Pois é. Mas o pior veio depois. O papo doido continuou. Minha mãe disse 
que quando a tal da Cuca viesse, eu ia estar sozinho, porque meu pai tinha 
ido pra roça e minha mãe passear. Mas tipo, o que meu pai foi fazer na 
roça? E mais: como minha mãe foi passear se eu tava vendo ela ali na minha 
frente? Será que eu sou adotado, cara? 
- Sabe a sua vizinha ali da casa amarela? Minha mãe diz que ela tem uma 
hortinha no fundo do quintal. Planta vários legumes. Será que sua mãe não 
quis dizer que seu pai deu um pulo por lá? 
- Hmmmm. pode ser. Mas o que será que ele foi fazer lá? VIXE! Será que meu 
pai tem um caso com a vizinha? 
- Como assim, véio? 
- Pô, ela deixou bem claro que a minha mãe tinha ido passear. Então ela 
não é minha mãe. Se meu pai foi na casa da vizinha, vai ver eles dois tão 
de caso. Ele passou lá, pegou ela e os dois foram passear. É isso, cara. 
Eu sou filho da vizinha. Só pode! 
- Calma, maninho. Você tá nervoso e não pode tirar conclusões 
precipitadas. 
- Sei lá. Por um lado pode até ser melhor assim, viu? Fiquei sabendo de 
umas coisas estranhas sobre a minha mãe. 
- Tipo o quê? 
- Ela me contou um dia desses que pegou um pau e atirou em um gato. 
Assim, do nada. Pura maldade, meu! Vê se isso é coisa que se faça com o 
bichano! 
- Caramba! Mas por que ela fez isso? 
- Pra matar o gato. Pura maldade mesmo. Mas parece que o gato não morreu. 
- Ainda bem. Pô, sua mãe é perturbada, cara. 
- E sabe a Francisca ali da esquina? 
- A Dona Chica? Sei sim. 
- Parece que ela tava junto na hora e não fez nada. Só ficou lá, paradona, admirada vendo o gato berrar de dor. 
- Putz grila. Esses adultos às vezes fazem cada coisa que não dá pra entender. 
- Pois é. Vai ver é até melhor ela não ser minha mãe, né? Ela me contou isso de boa, cantando, sabe? Como se estivesse feliz por ter feito essa selvageria. Um absurdo. E eu percebo também que ela não gosta muito de mim. Esses dias ela ficou tentando me assustar, fazendo um monte de careta. Eu não achei legal, né. Aí ela começou a falar que ia chamar um boi com cara preta pra me levar embora. 
- Nossa, véio. Com certeza ela não é sua mãe. Nunca que uma mãe ia fazer isso com o filho. 
- Mas é ruim saber que o casamento deles é essa zona, né? Que meu pai sai com a vizinha e tal. Apesar que eu acho que ele também leva uns chifres, sabe? Um dia ela me contou que lá no bosque do final da rua mora um cara, que eu imagino que deva ser muito bonitão, porque ela chama ele de 'Anjo'. E ela disse que o tal do Anjo roubou o coração dela. Ela até falou um dia que se fosse a dona da rua, mandava colocar ladrilho em tudo, só pra ele pode passar desfilando e tal. 
- Nossa, que casamento bagunçado é esse. Era melhor separar logo. 
- É. só sei que tô cansado desses papos doidos dela, sabe? As vezes ela fala algumas coisas sem sentido nenhum. Ontem mesmo veio me falar que a vizinha cria perereca em gaiola, cara. Vê se pode? Só tem louco nessa rua. 
- Ixi, cara. Mas a vizinha não é sua mãe? 
- Putz, é mesmo! Tô ferrado de qualquer jeito.

Mãe é Fogo...


Mãe : Alô?  
Filha: Mãe? Posso deixar os meninos contigo hoje à noite?
Mãe: Vai sair?
Filha: Vou.
Mãe: Com quem?
Filha: Com um amigo.
Mãe: Não entendo porque você se separou do teu marido, um homem tão bom...
Filha: Mãe! Eu não me separei dele! ELE que se separou de mim!
Mãe: É.. você me perde o marido e agora fica saindo por aí com qualquer um...
Filha: Eu não saio por aí com qualquer um. Posso deixar os meninos?
Mãe:Eu nunca deixei vocês com a minha mãe, para sair com um homem que não fosse teu pai!
Filha: Eu sei, mãe. Tem muita coisa que você fez que eu não faço!
Mãe: O que você tá querendo dizer?
Filha: Nada! Só quero saber se posso deixar os meninos.
Mãe: Vai passar a noite com o outro? E se teu marido ficar sabendo?
Filha: Meu ex-marido!! Não acho que vai ligar muito, não deve ter dormido uma noite sozinho desde a separação!
Mãe: Então você VAI dormir com o vagabundo!
Filha: Não é um vagabundo!!!
Mãe: Um homem que fica saindo com uma divorciada com filhos só pode ser um vagabundo, um aproveitador!
Filha: Não vou discutir, mãe. Deixo os meninos ou não?
Mãe: Coitados... Com uma mãe assim...
Filha: Assim como?
Mãe: Irresponsável! Inconseqüente! Por isso teu marido te deixou!
Filha: CHEGA!!!
Mãe: Ainda por cima grita comigo! Aposto que com o vagabundo que tá saindo contigo você não grita.
Filha: Agora tá preocupada com o vagabundo?
Mãe: Eu não disse que era vagabundo!? Percebi de cara!
Filha: Tchau!!!
Mãe: Espera, não desliga! A que horas vai trazer os meninos?
Filha: Não vou. Não vou levar os meninos, também agora não vou mais sair.
Mãe: Não vai sair? Vai ficar em casa? E você acha o que, que o príncipe encantado vai bater na tua porta? Uma mulher na tua idade, com dois filhos, pensa que marido está assim fácil? Se deixar passar mais dois anos, aí sim que vai ficar sozinha a vida toda! Depois não vai dizer que não avisei! Eu acho um absurdo, na tua idade você ainda precisar que EU te empurre para sair! 


Luís Fernando Veríssimo

Vendo pra crer!

video

video

Oscar 2009


Vamos aos indicados ao maior prêmio do cinema mundial:


Melhor filme: 
- “Quem quer ser um milionário?” 
- “Frost/Nixon” 
- “O curioso caso de Benjamin Button” 
- “Milk - A voz da liberdade” 
- “The reader” 

Melhor diretor: 
- Danny Boyle - “Quem quer ser um milionário?”

- Ron Howard - “Frost/Nixon” 
- David Fincher - “O curioso caso de Benjamin Button” 
- Gus Van Sant - “Milk - A voz da liberdade” 
- Stephen Daldry - "The reader" 

Melhor ator: 
- Mickey Rourke - “The wrestler” 
- Sean Penn “Milk - A voz da liberdade” 
- Frank Langella – “Frost/Nixon” 
- Brad Pitt - "O curioso caso de Benjamin Button" 
- Richard Jenkins - "The visitor 

Melhor atriz: 
- Meryl Streep – “Doubt” 
- Kate Winslet – “The reader” 
- Anne Hathaway – “O casamento de Rachel” 
- Angelina Jolie – “A troca” 
- Melissa Leo - "Frozen river" 


Melhor ator coadjuvante: 
- Heath Ledger - “Batman – O cavaleiro das trevas” 
- Josh Brolin - "Milk - A voz da liberdade" 
- Robert Downey Jr. - "Trovão tropical" 
- Philip Seymour Hoffman - "Doubt" 
- Michael Shannon - "Revolutionary road" 

Melhor atriz coadjuvante: 
- Amy Adams - "Doubt" 
- Penélope Cruz - "Vicky Cristina Barcelona" 
- Viola Davis - "Doubt" 
- Taraji P. Henson - "O curioso caso de Benjamin Button" 
- Marisa Tomei - "The wrestler" 

Melhor longa de animação: 
- “Wall.E” 
- “Kung Fu Panda” 
- “Bolt – Supercão” 

Melhor filme em língua estrangeira: 
- "Revanche", de Gotz Spielmann (Áustria) 
- "The class", de Laurent Cantet (França) 
- "The Baader Meinhof Complex", de Uli Edel (Alemanha) 
- "Waltz with Bashir", de Ari Folman (Israel) 
- "Departures", de Yojiro Takita (Japão) 

Melhor roteiro original: 
- “Frozen river” 
- “Na mira do chefe” 
- “Wall.E” 
- “Milk – A voz da liberdade” 
- “Happy-go-lucky” 

Melhor roteiro adaptado: 
- “O caso curioso de Benjamin Button” 
- “Doubt” 
- “Frost/Nixon” 
- “The reader” 
- “Quem quer ser um milionário?” 

Melhor direção de arte: 
- “A troca” 
- “O curioso caso de Benjamin Button” 
- “Batman – O cavaleiro das trevas” 
- “A duquesa” 
- “Revolutionary road” 

Melhor fotografia: 
- “A troca” 
- “O curioso caso de Benjamin Button” 
- “The reader” 
- “Batman – O cavaleiro das trevas” 
- “Quem quer ser um milionário?”

Melhor mixagem de som: 
- “O curioso caso de Benjamin Button” 
- “Batman – O cavaleiro das trevas” 
- “Quem quer ser um milionário?” 
- “Wall.E” 
- “Procurado” 

Melhor edição de som: 
- “Batman – O cavaleiro das trevas” 
- “Homem de Ferro” 
- “Wall.E” 
- “Procurado” 
- “Quem quer ser um milionário?” 

Melhor trilha sonora original: 
- Alexandre Desplat - “O curioso caso de Benjamin Button” 
- James Newton Howard – “Defiance” 
- Danny Elfman – “Milk – A voz da liberdade” 
- Thomas Newman – “Wall.E” 
- A.R. Rahman – “Quem quer ser um milionário?” 

Melhor canção original: 
- “Down to Earth”, de Peter Gabriel and Thomas Newman - “Wall.E” 
- “Jai Ho” de A.R. Rahman – “Quem quer ser um milionário?” 
- “O Saya”, de A.R. Rahman e Maya Arulpragasam – “Quem quer ser um milionário?” 

Melhor figurino: 
- “Austrália” 
- “O curioso caso de Benjamin Button” 
- “A duquesa” 
- “Milk – A voz da liberdade” 
- “Revolutionary road” 

Melhor documentário de longa-metragem: 
- “The betrayal” 
- “Encounters at the end of the world” 
- “The garden” 
- “Man on wire” 
- “Trouble the water” 

Melhor documentário de curta-metragem:
- “The conscience of Nhem En” 
- “The final inch” 
- “Smile Pinki” 
- “The witness - From the balcony of room 306” 

Melhor edição: 
- “O curioso caso de Benjamin Button” 
- “Batman – O cavaleiro das trevas” 
- “Frost/Nixon” 
- “Milk – A voz da liberdade” 
- “Quem quer ser um milionário?” 

Melhores efeitos especiais: 
- “Batman - O cavaleiro das trevas” 
- “Homem de Ferro” 
- “O curioso caso de Benjamin Button” 

Melhor maquiagem: 
- “O curioso caso de Benjamin Button” 
- “Batman – O cavaleiro das trevas” 
- Hellboy II – O exército dourado” 

Melhor animação de curta-metragem:
- “La maison en petits cubes” 
- “Lavatory - Lovestory” 
- “Oktapodi” 
- “Presto” 
- “This Way Up” 

Melhor curta-metragem: 
- “Auf der strecke (On the Line)” 
- “Manon on the asphalt” 
- “New Boy” 
- “The Pig” 
- “Spielzeugland (Toyland)”



A premiação acontece no próximo dia 22 de fevereiro, direto do Kodak Theatre, Los Angeles!

Felicidade Realista


A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável. 
Mas nossos desejos são ainda mais complexos 
 
Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. 
 
Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. 
 
E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. 
 
É o que dá ver tanta televisão. 
Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. 
Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. 
Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. 
Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. 
 
Dinheiro é uma benção. 
Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. 
Não perder tempo juntando, juntando, juntando. 
Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. 
E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. 
 
Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. 
 
Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. 
 
Olhe para o relógio: hora de acordar!
É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. 
 
A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. 
Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade.
Se a meta está alta demais, reduza-a. 
Se você não está de acordo com as regras, demita-se. 
Invente seu próprio jogo. 
 
Faça o que for necessário para ser feliz. 
 
Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples.
Você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.
 
Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. 
Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.



Mário Quintana

Cleber Machado e o holandês Cocu

Presta bem atenção nos detalhes da narração de Cleber Machado, num jogo da Copa do Mundo de 2006, a respeito do jogador holandês Cocu.
Simplesmente hilário...

video



abcs